Contos » Um Mundo Fantástico

(Marcele Ferreira de Oliveira)

Um Mundo Fantástico

Dona Dulce tem 3 filhos: Kayki, Rayela e Lua.

Kayki é o mais velho, ele tem 20 anos e esta na faculdade, Rayela tem 15 anos e está no ginásio, e Lua é a mais nova, tem 11 anos.

Íris, a vizinha de Lua, é dona da biblioteca Cantinho de Luz, esse nome é porque Íris costuma dizer que ler é uma luz, que é muito importante ler.

Íris gosta muito de Lua, ou melhor, de Lu.

Lua, sua mãe e sua irmã foram ler livros na biblioteca assim que chegaram de um passeio, e Lu perguntou a Íris onde estavam seus livros preferidos: Escola de Magia.

-No segundo corredor e na terceira prateleira. Respondeu Íris.

Lua ficou tão distraída que nem percebeu sua irmã ir para a outra sessão de livros que era em outra sala.

Lua olhou e não viu sua irmã, ela ficou desesperada, começou a andar pela biblioteca olhando para os lados, andou até a outra sessão e encontrou sua irmã.

Lua abraçou a irmã que pediu desculpa por sair sem avisar.

Rayela levou Lua para a D. Dulce que estava conversando com Íris.

Lua estava indo embora, e quando estava para sair Íris chamou ela bem alto, e deu um livro para Lua.

-Toma Lu, eu vi como você gosta dos livros Escola de Magia então, toma.

-Um livro da Escola de Magia, muito obrigada Íris, eu amei.

Lua chegou a sua casa animada, foi à cozinha pegou um suco gostoso e sentou no sofá para ler o livro.

-Pronto, agora eu posso ler o meu livro.

Escola de Magia

Ellen estava procurando o seu colar quando Miguel pergunta:

-Ellen onde está o Leandro?

-O Leandro, pra que quer saber?

-Preciso falar com ele agora. É uma coisa muito importante que ele precisa saber.

-Não sei onde ele está.

-Vem comigo procurar ele.

-Claro, mas aonde a gente vai procurar?

-No Salão de jogos!!!!! Falaram os dois em coro.

-Ele adora jogar, deve estar lá. Falou Ellen com um sorriso no rosto.

-Tomara, vamos.

Eles Foram até o Salão de Jogos e quando chegaram, à porta estava trancada.

Do nada Michael aparece por ali e começa a implicar com Ellen e com Miguel.

-Olha os perdedores.

-Ninguém ta falando com você Michael. Diz Miguel com cara de quem não sabia o que estava fazendo.

-Miguel segura minha mão.

Ellen pega sua varinha e diz um feitiço que seu Tio havia lê ensinado para ir para qualquer lugar:

-Plissem Petim, Ocos Iopas nos leve ao pátio da escola, agora!!!!!!!

Eles foram parar no pátio e não encontram Leandro, mais viram Daniel e perguntaram se Leandro havia passado por ali...

-Lua vem almoçar, a comida esta pronta!

-Já vou mãe!!!

Lua comeu, ficou satisfeita, e disse:

-Que delicia.

Lua foi dormir um pouco, ela tinha acordado muito cedo naquele dia para ir visitar seu tio que mora bem longe, em Guatin, no interior, viajar cedo e voltar quase 2 horas deixou Lu muito cansada.

Para ela, acordar cedo e voltar tarde é muito difícil.

Sua mãe a acordou dizendo:

-Filha, está passando um filme muito legal na televisão, você não quer assistir?

-Não mãe.

Lua não conseguiu voltar a dormir e então resolveu ser levantar, logo depois um grupo de crianças a chamaram para brincar.

Eles pularam corda, brincaram de amarelinha, pique bandeirinha, pique pega e de pique esconde.

Eles se divertiram tanto que nem notaram a noite chegando.

-O dia passou de pressa, né gente? Disse uma menina chamada Juliane.

-É mesmo já esta na hora da janta!!!!! Falou Mariano.

-Agora a gente não vai poder brincar mais. Falou Ana bem desanimada.

-Tive uma idéia!!!!!! Disse Lua.

Lua convidou os amigos para assistir DVD depois que todos jantassem, e todo mundo topou.

Ela jantou e depois assistiu um DVD com seus amigos, quando eles foram embora, Lua conversou com sua mãe e depois foi dormir.

A mãe de Lua arrumou a cama e ajeitou o travesseiro e depois Lua deitou e dormiu.

-Boa noite filha. Disse dona Dulce.

Quando Dona Dulce apagou as luzes e fechou a porta Lua desapareceu.

A menina acordou num castelo estranho, era dia naquele lugar, Lua não podia ficar parada e começou a andar pelo castelo.

-Que lugar é esse??? Perguntava-se Lua a cada passo que dava.

Lua estava andando pelo castelo quando ouviu um barulho.

Ela estava se aproximando de uma porta e algo a cutucou pelas costas.

-Aaaaaaaaaaaaaa!!!!!!!!!!!!

-Calma calma!

-Quem é você???? Perguntou Lua assustada.

-Eu sou o Frederico mais me chama de Fred. Disse um menino com cabelo meio loiro, meio castanho, com olhos azuis e, meio moreno.

-Eu me chamo Lua. Respondeu docemente, mas com cara de quem tinha visto um fantasma.

Eles conversaram um pouco e ficaram amigos.

Fred disse a Lua com cara de riso:

-Nossa você se assustou mesmo quando cheguei perto!!!!

Em quanto ele ria, Lua se aproximou de uma janela e disse.

-Olha só, tem alguém lá em baixo!!!!!!

-É meu irmão, ele veio comigo aqui. Respondeu Fred confiante.

-E o que você esta esperando, vamos sair desse lugar.

Eles correram e chegaram ao irmão de Fred, e ele disse:

-Lua, esse é meu irmão, ou melhor, um dos meus irmãos.

-Você tem mais irmãos?

-Claro, venha vou te mostrar. Só que tem um problema.

-Qual?

-Problema, que problema mano?????Falou o irmão de Fred.

-Aqui tem várias estradas e eu não to lembrando qual é a estrada que leva a gente até a minha casa. Calma.

-Como é que é, cara eu to num lugar que eu não conheço com um bando de gente que não faço a mínima idéia de quem são e você me diz pra ficar calma.

-Ta, eu vou dar um jeito. Disse Fred muito triste, mas tentando disfarçar.

-Mano, lembra aquela pedra brilhosa que a gente achou perto de casa?

-Lembro, por quê?

-Eu a botei na estrada que leva a gente pra casa.

-Genial, e se eu não me engano é aquela pedra ali, não é?

-É sim, vamos embora.

Eles correram o mais rápido que podiam e chegaram à casa de Fred.

O irmão de Fred entrou correndo e quando Fred ia entrar Lua o chamou.

-Fred, antes de a gente entrar eu queria te pedir desculpas por gritar com você.

-Tudo bem. Vamos entrar.

Fred abriu a porta e disse.

- Lua, meus irmãos.

-Puxa!!!!!...Eles... Eles...

-Eles o que Lua? Disse Fred com um jeito de quem já sabia o que Lua ia dizer.

-Eles são muitos mesmo!!!

-Que nada são apenas 10.

-10!!!

-É, vou lê apresentar eles.

-Claro, quero muito conhecê-los.

-Meninos venham cá!!!!!!!!!!!!!

-O menorzinho é o André, aquele que tava com a gente, o outro mais alto é o Roberto, o outro é o Antônio.

-Olá. Disseram todos em conjunto.

-Você não tem irmã não?

-Tenho, são aquelas ali.

-Ta vendo aquela menina alta ali?

-Alta?O Antônio é mais alto do que ela.

-Eu sei. Continuando aquela ali é a Giselle, a outra a Mariana, e por ultimo é a Alice.

-Mano posso Falar com você? Perguntou Roberto.

-Claro, sem problema. Lua vai conversando com as meninas e daqui a pouco eu volto, ta?

-Tudo bem.

-Mano, a Lua é linda cabelos castanhos, longos, soltos, olhos cor mel, simpática você tem sorte em.

-Roberto, eu encontrei a Lua no castelo, eu ainda não sei o que ela estava fazendo lá, qual é a família dela eu não sei nada.

-Pergunta a ela. Falou Antônio.

-Gente, eu não gosto da Lua, nem a Lua de mim, ta bom. Respondeu Fred muito bravo.

Enquanto Fred conversava com os irmãos Lua se entendia com as meninas.

-Lua, você tem sorte. Disse Alice.

-Por quê?Perguntou Lu.

-Por causa do Fred, ele tem cabelos castanhos tipo tigela, tem olhos azuis, é corajoso. Tudo de bom.

-Eu não o conheço direito e ele não gosta de mim.

-Como você sabe, olha ele vindo aí, puxa conversa com ele. Falou Mariana empurrando Lua.

-Não são 10?

-O que?

-Seus irmãos não são 10?

-São sim!!!

-Então cadê o resto dos seus irmãos?

-Há cabeça a minha, você deve estar falando do Eduardo, do Gabriel, da Daniela, e da Melissa. Mas eles gostam de ir pro campo com o papai pra ajudar ele e também pra ficar com a natureza.

-Mas você disse que eram 10, falta um.

-Aqui têm muito barulho, meus irmãos estão brincando na sala, vamos lá pra fora?

-Vamos.

Fred foi com Lua para o quintal e continuaram a conversa.

-Eu sei, essa é a Laura só que há essa hora ela deve estar com o Christian.

-Mas quem é Christian??????Perguntou Lu

-Ora, namorado dela, o Christian é muito bonito, mas não gosta de sair ele fica sentado no quintal olhando as motos passarem, é muito esquisito.

-E aí o que você estava fazendo naquele castelo?

-É um castelo abandonado eu tinha ido brincar com meu irmão e resolvi olhar se avia alguma novidade, mas, e você? Perguntou Fred.

-Não me lembro, eu só me lembro de ir dormir e acordar naquele castelo.

Lua explicou tudo e ficou muito triste.

-O que ouve?

-Sinto saudades da minha família.

-Como é a sua família????

-Muito diferente da sua, eu só tenho dois irmãos e você tem 10.

-Tenho sorte, eu nunca me sinto sozinho, como se chama a sua mãe, e os seus irmãos?

-Minha mãe se chama Dulce, e minha irmã se chama Rayela.

-Você disse que tinha dois irmãos e só disse um.

-Esse é o Kayki meu irmão mais velho.

Fred pensou um pouco e resolveu levá-la até um lugar que conhecia perto de uma cidade.

-Esse lugar é lindo!!! Falou Lua admirada.

-É. Minha mãe me trazia quando eu era pequeno, também, eu tinha 5 anos, o Antônio devia ter 4 e há Laura 8.

-Devia ser bom.

-E era a gente era pequeno e não dava muito trabalho, aqui tinha um lago cercado por areia, tipo uma miniatura de praia.

-Fred, me desculpa outra vez por gritar com você hoje de manhã.

-Tudo bem Lu, posso te chamar assim????

-Pode.

Lua distraída pisou em cima de um galho, e um cachorro chegou seguido por 6 crianças.

-Olá. Falaram Fred e Lua um pouco assustados.

-Oi. Respondeu um dos meninos.

-Meu nome é Fred e essa é minha amiga Lua.

-Meu nome é Felipe e esses são meus amigos, Junior, Emília, Frank, Paola e Talíta e aquele ali é o meu cachorro Tok.

-Eu sou do Paraná, mas venho aqui quase sempre para ficar com meu avô. Falou Talíta.

-Que Legal Talíta. Disse Lua.

-Me chama de Talí.

Eles ficaram amigos e Fred resolveu perguntar.

-Vocês moram na cidade?

-Sim, nós todos, e vocês?

-Bom eu moro no campo, mas ela não.

-Onde ela mora então?

Eles explicaram tudo aos novos amigos, que resolveram ajudar.

-Vamos a minha casa. Minha mãe preparou um lanche, e fez vários sanduíches e vocês podem comer com a gente.

-Craro, assim nos contam mais. Disse Junior.

-Vai ser muito bom. Falou Paula.

-Craro, vai ser mesmo.

-Craro???Não é claro não? Corrigiu Lua.

-O Junior troca o L pelo R e o R pelo L. Explicou Felipe.

-Desculpa, mas não posso andei muito para chegar aqui, minha mãe deve estar preocupada. Disse Fred.

-Sua mãe deve estar fazendo comida porque já são 11 horas e 55 minutos. Disse Emília

-Vocês não entendem, eu tenho muitos irmãos, minha mãe não tem muito dinheiro para comprar comida. No mínimo a gente come feijoada ou arroz, feijão e farofa.

-Bom... Leve meus sanduíches para seus irmãos, assim terão o que comer. Disse Felipe querendo ajudar.

Rapidamente ele foi a sua casa e embrulhou todos os sanduíches, depois pegou uma sacola, botou os sanduíches e Fred os levou para casa.

Ao chegar à casa de Fred, Laura disse ao irmão.

-Fred, nossos irmãos foram brincar e até agora não voltaram.

-Já sei o que vai trazer eles de volta, mais só se estiverem perto.

Fred abriu o saco com os sanduíches e colocou em cima da mesa.

Os seus irmãos sentiram o cheiro do presunto, da mortadela e do queijo, eles estavam com muita fome e vieram correndo comer.

Quando voltaram Laura viu que Roberto havia machucado a perna e estava mancando tentando disfarçar.

Laura perguntou o que havia acontecido.

-Eu explico. Falou Giselle.

-A gente estava brincando lá na floresta e tinha um buraco, mais a gente não sabia e então eu e o André estávamos correndo atrás do Roberto e ele passou na frente de uma moita e botou o pé dentro do buraco e torceu.

-Estão muito errados de não terem falado comigo e sim escondido de mim.

-Desculpa a gente Laura. Disseram todos juntos.

-Mais uma coisa, a gente também tinha ido brincar lá na quadra da antiga escola e o André, a Alice e eu nos machucamos. Falou Giselle.

-Se machucaram, como????? Perguntou Laura indignada.

-O André tropeçou numa pedra grande e ralou o joelho, eu arranhei o braço na parede e a Alice fez um machucado na mão com um espinho de uma planta.

Depois das explicações e os pedidos de desculpa Lua e Laura resolveram trabalhar juntas para fazer os curativos e dar os remédios.

Logo anoiteceu e todos foram dormir, Fred pegou um cochonete e um travesseiro para dormir e deixou Lua ficar com a cama.

No meio da noite Fred acordou e não viu Lua, ele andou por toda parte e achou ela naquele lugar perto da cidade.

-Lua, o que você está fazendo aqui?????

-Sinto falta da minha família, dos meus amigos, da minha casa.

-Não se preocupe.

-Como não me preocupar, eu to sozinha aqui.

-Mas você tem a mim.

-E a nós. Uma voz veio de trás das arvores e apareceu Felipe com as outras crianças.

-Valeu gente. Disse Lua mais animada.

Derrepente um tipo de nave emite uma luz muito forte e faz todos desmaiarem.

-O que aconteceu, onde eu estou? Disse Lua um pouco tonta.

Lua se viu num lugar, com muitos computadores e coisas estranhas que ela nunca tinha visto.

-Socorro, tem alguém ai???? Gritou Lua.

Eu. Falou um menino, com roupas estranhas e cabelo com um tipo de gel.

-Quem é você? Perguntou Lua tentando se levantar.

-Não se mexa você ainda esta muito fraca. Falou ele.

-Meu nome é Eduard Nevas Silva. Continuou o garoto.

-Não precisava ser o nome todo, há, eu me chamo Lua.

-Prazer por conhecê-la, e me chama de Edu. Respondeu gentilmente

-Meus amigos desmaiaram e se machucaram você pode ajudar?????

-Claro que posso.

Ele apertou um botão e varias camas surgiram no meio do nada, então Edu pegou todos e colocou em camas confortáveis, fez pequenos curativos e deu muitos remédios, passaram duas semanas e todos acordaram e pediram explicações a Lua e ao tal de Eduard.

-Todos nós agradecemos por você ter cuidado da gente esse tempo, mais o que a gente ta fazendo aqui??? Perguntou Fred.

-Desculpa, esqueci de me apresentar, sou Eduard, mais me chamem de Edu, eu preciso da ajuda de vocês aqui.

-Da gente, cara, desculpa, mais nós não somos espiões, não temos super poderes, nem nada, por que a gente?????? Perguntou Felipe.

Eu não escolhi, aqui é a cidade de Lonipólis, uma cidade abaixo da de vocês, paralela, aqui era um lugar muito bonito, todos eram felizes, até eu com meus pais, o rei e a rainha éramos felizes.

-Então você é príncipe, isso explica o nome chique, mas não vejo nada de mal nisso. Disse Lua

-E não tem mesmo, só que um dia perto do meu aniversário um homem muito mal chamado Délfim capturou os meus pais, todo mundo diz que é tolice tentar resgatá-los, mas eu preciso. Falou ele tão tristemente.

-Amo muito meus pais e, depois todo mundo tem medo do bruxo Délfim, tudo é triste e eu não posso fazer nada.

-Claro que pode, tem que ter confiança e acreditar nos seus amigos, eles vão te ajudar. Falou Talí.

-Não vão, eles tem medo de Délfim, falam que eu precisaria de um exercito de outro mundo, e eu levei a sério.

-Então aquela nave com luz forte é sua??? Perguntou Paola.

-Bem, vocês tão vendo que eu sou normal, como vocês, só que a tecnologia daqui é muito avançada.

-Por isso essas coisas esquisitas??? Perguntou Frank

-É.

-Me diz uma coisa, aquela nave é sua sim ou não??? Disse Paola.

-É do meu pai, eu vi vocês conversando e achei que poderiam me ajudar, como vocês confiam um no outro eu achei que poderia confiar em vocês.

-Claro, concorda comigo não é Fred? Falou Lua botando a mão no ombro de Edu.

-Pode sim. Respondeu Fred.

-Mas, por que você usou aquela nave com luz forte???? Pergunto Frank.

-Vocês iriam falar e me perguntar o que aconteceu, eu não tinha tempo para isso, a gente só pode ficar aqui hoje, amanhã a gente vai para outro lugar, ninguém pode ver vocês.

-Vamos ter que passar a noite inteila sem sair daqui??? Perguntou Junior.

-Não, vocês podem sair, só tomem cuidado com os guardas de Délfim.

-Nós vamos te ajudar amanha de manhã, já é noite. Falou Emilia.

-Valeu.

-Bom, daqui a pouco é noite, eu vou procurar algum lugar pra gente dormir. Falou Fred.

-Mas, eu vou servir vocês, devem usar roupas limpas e do nosso estilo para não serem reconhecidos, devem querer comida, quarto, esse tipo de coisa.

-Obrigada Edu. Falou Lua.

-Como vamos saber qual é a nossa roupa???? Perguntou Felipe.

-Cada roupa terá a inicial dos seus nomes.

Horas depois Fred chegou perto de Lua e disse:

-É... Você quer sair comigo para conhecer o lugar já que a gente vai ficar aqui um tempo, eu achei...

-Desculpa Fred, já marquei com o Edu.

- Claro, é cidadão local, conhece tudo, vá com Deus ou será que você prefere vá com o Edu.

Fred foi embora e deixou flores muito bonitas e uma caixa de bombons com formato de coração e um bilhete escrito:

Lua,

Você é minha melhor amiga, desde que está aqui mudou minha vida para melhor.
Você me ensinou que quando a gente tropeça temos que nos levantar e colocar o curativo no machucado, assim todos nós podemos seguir em frente.

Assinado: Fred.

Quando Edu chegou Lua disse que não queria mais ir, que ela tinha tropeçado e devia fazer o curativo.

Fred chateado não conseguiu dormir e foi para o quintal, lá viu Lua.

-Você não devia estar com o Edu, Lua?????

-Não, tente entender, quando eu estava frágil você me fortaleceu, quando eu tropecei, foi você que me levantou, quando eu queria esquecer tudo, foi você que me ajudou a encarar. Fred ninguém vai tomar o seu lugar.

-Obrigada Lua.

Foi ali que começou o romance de Lua e de Fred.

No dia seguinte, todos acordaram cedo e planejaram um plano para ajudar Edu.

-Eles não podem ver a gente!!!! Falou Felipe

-Você tem razão, eu dei uma olhada por aí e percebi que existem alguns guardas lá na porta, meia dúzia de guardas mais muito grandes e fortes. Falou Lua.

-Eu tenho um plano mais vai precisar de muito cuidado, topam???? Falou Edu.

-Claro que topamos. Falou Talí.

-Lá tem alguns lasers, Lua e eu vamos descer de corda para desligar o alarme aí vocês entram...

E assim foi, desligaram os alarmes e pegaram a chave, soltaram os pais de Edu e conseguiram acabar com Délfim mostrando o valor da amizade e do amor.

-Então isso é um adeus a todos. Falou Edu.

-Eu sei, que pena, mais sinto saudades de casa. Falou Lua.

-Você vai voltar para sua casa, eu tirei você de lá então eu mando de volta. Adeus!!!!!!!

Um grande raio levou todos a suas casas, principalmente Lua.

-Mãe, que bom ver você.

-Filha, o que houve, eu acabei de botar você na cama.

-Eu sei, deixa pra lá.

Era como se nada tivesse acontecido, foi um sonho, talvez.

Mas uma coisa é certa, Lua nunca se esquecerá do seu sonho maravilhoso, e de seus grandes amigos.

FIM

Palavras da autora: foi tudo realidade, tudo aconteceu com Lua.

As crianças eram reais, mas eram de outro mundo, no fim o valor da amizade valeu muito e fez tudo voltar ao normal.

Veja mais contos infantis.



Não encontrou? Pesquise abaixo mais conteúdo infantil: