Andréa F. Fischer

A otite média aguda (OMA), popularmente conhecida como dor de ouvido, é um processo infeccioso da orelha média e atinge órgãos como o tímpano e as estruturas que se localizam logo atrás do tímpano (ouvido médio). A doença aparece de uma hora para outra e normalmente está associada a infecções virais das vias aéreas superiores.
A incidência da OMA é maior em crianças do sexo masculino com idade entre 6 meses e 6 anos. O pico da doença ocorre por volta dos 2 anos de idade. A doença é uma das mais diagnosticadas no mundo: cerca de 75% das crianças até 2 anos já tiveram pelo menos um episódio de otite média aguda.
Pesquisas indicaram que algumas crianças têm uma predisposição para sofrer com a doença. Crianças de baixa idade apresentam uma menor rigidez das paredes da trompa de Eustáquio, estrutura tubular que liga o ouvido médio à faringe e por onde costumam penetrar os agentes infecciosos. O hábito de alimentarem-se deitados também favorece a entrada de leite pela trompa de Eustáquio, o que aumenta o risco de OMA. Outras crianças podem apresentar deficiências imunológicas de maior ou menor intensidade, tornando-as mais sucetíveis às otites infecciosas.

Fatores de risco

Os principais fatores de risco são, a baixa idade, as infecções virais das vias respiratórias (gripes e resfriados) e o decúbito dorsal às mamadas (mamar deitado).
A diminuição do aleitamento materno é considerada um fato muito significativo para o aparecimento da doença. O leite materno possui propriedades imunológicas e fornece várias substâncias que previnem as doenças na criança.
Chupar o dedo ou chupetas, tabagismo passivo e algumas alergias também são considerados fatores de risco por exporem a criança a microorganismos que podem infeccionar as vias aéreas.
Fonte: Portal Unimed www.unimed.com.br

É proibida a reprodução do artigo sem autorização prévia do Portal Unimed



Não encontrou? Pesquise abaixo mais conteúdo infantil: